Amanhã será um grande dia!


Depois de quase dois anos sem colocar os pés em uma escola, amanhã estarei no Colégio Sete de Setembro, de Não-Me-Toque, ministrando a palestra “A literatura não é chata” para estudantes do ensino fundamental II.

Minha primeira palestra presencial desde que tudo isso começou.

Eu amo, mas amo mesmo, apresentar esta palestra. Sempre amei, desde a primeira vez, lá em 2013.  

Mas se antes eu já valorizava e me sentia privilegiada pela chance de trocar uma ideia sobre literatura com os alunos, agora, depois de tudo e de tanto, este contato se tornou algo próximo do vital.

Ninguém mais é quem era antes da pandemia.

Nós mudamos, você mudou, eu mudei e até a palestra “A literatura não é chata” mudou, como não poderia deixar de ser. Mas tem uma coisa que não muda nunca, não importa o que aconteça: os livros foram, são e sempre serão a chave para abrir a porta de qualquer prisão, principalmente a mental. Aquela na qual vivemos em eterno lockdown, confinados em nosso miniuniverso, falando e ouvindo só o som da nossa própria voz.

Razão pela qual listo, nesta atividade, dez motivos práticos que comprovam que a literatura é mais do que amiga, professora, companhia e avião.

É nossa principal aliada em um mundo que nos quer alienados.

Que venha o amanhã – no sentido literal e literário!


Palestra em Sananduva em 2015 (por Fernão Duarte).

Postagens mais visitadas deste blog

11 de setembro

Os corruptos originais