Ao professor, no seu dia!

 


Hoje, dia 15 de outubro, era a data na qual eu tinha planejado lançar o livro Ao professor, a palavra, reunindo textos de educadores versando sobre a educação.

Mas todo mundo sabe o que acontece quando a gente faz um plano: Deus ri.

Porque 2020 veio atropelando geral, trazendo pandemia e isolamento, fechando escolas e suspendendo aulas, sobrecarregando ainda mais os nossos já sobrecarregados professores. 

O prazo de entrega dos textos, que inicialmente era dia 15 de maio, foi adiado diversas vezes. Normalmente, respeito muito a data limite definida para a entrega de um trabalho; ocorre, porém, que estamos longe, muito, muito longe de uma situação normal.

Concluí que seria no mínimo contraditório organizar um livro no qual busco dar voz aos nossos educadores e não ouvi-los, quando me diziam que estavam com dificuldade de concentração, estressados, deprimidos, assustados, abandonados, atolados em trabalho.

Por isso, neste 15 de outubro, dia dos nossos mestres, data na qual imaginei que lançaríamos nosso livrinho, cá estou para dizer a todos os nossos professores: CONTEM COMIGO.

Contem não somente com o meu apoio e a minha gratidão, mas também com a minha indignação diante da negligência do Brasil e de cada brasileiro com a educação.

Contem com a minha revolta à situação de perseguição, silenciamento e brutalidade que, mais do que nunca, vocês vivenciam diariamente.

Contem com a minha voz para dizer e repetir que um país que trata seus professores como inimigos jamais será verdadeiramente livre.

Mais do que mensagens bonitas, bombons e congratulações, espero que vocês, mestres, recebam sem demora a devida valorização, que vem através de homenagens, mas principalmente de ações: salário justo, qualificação, carga horária decente, boas condições de trabalho, apoio às suas causas e respeito. 

A epígrafe do livro Ao professor, a palavra, que será lançado virtualmente em dezembro deste ano, é do Darcy Ribeiro e diz assim:

“Só há duas opções nesta vida: se resignar ou se indignar. E eu não vou me resignar nunca”.

Como vocês, professores, eu não me resigno.

Com vocês, eu me levanto.

Mas, acima de tudo, ao lado de vocês eu quero lutar.

Não só hoje, como sempre.

Postagens mais visitadas deste blog

11 de setembro

Amanhã será um grande dia!

Os corruptos originais